• Pedro Vitor Lopes

Prefeitura não cumpre prazo e município perde 2,5 milhões para reforma do Mercado



Em 20 de fevereiro, Correio Abreulimense repercutiu uma nota do Blog de Jamildo Jtratando da insatisfação do prefeito Marcos José com o governo Paulo Câmara, em razão da demora no cumprimento compromissos firmados com a cidade, entre eles, a liberação de recursos relativos à reforma do Mercado Municipal, orçada em 2,5 milhões de reais. Porém, ao que se ver, nem tudo é má vontade do governo estadual.


Em reunião com os feirantes na tarde de ontem, a Prefeitura informou que o valor inicial de 2,5 milhões não será mais executado, devido à necessidade de ampliar a reforma e ,consequentemente,o valor da obra, que agora está estimada em cerca de 4 milhões de reais.

Diante do impasse e de diversas queixas feitas pelos comerciantes ao blog, procuramos mais informações sobre o imbróglio diretamente com o Governo de Pernambuco, que transferiu toda responsabilidade para a Prefeitura.


Segundo as informações apuradas, o município de Abreu e Lima não cumpriu com as obrigações exigidas no convênio e,portanto, perdeu o direito à verba.


O estado repassou 500 mil reais à Prefeitura como primeira parcela do acordo, mas exigiu adequações no projeto, que deveriam ter sido realizadas até dezembro de 2018. As alterações ficaram a cargo da Secretaria de Obras do município, comanda pelo administrador Ricardo Góes,que não conseguiu cumprir com as exigências dentro do prazo estipulado. Além de ter que devolver os 500 mil recebidos, Abreu e Lima perdeu a chance de ver seu Mercado Publico reformado.


Na lógica política, a eficiência de uma gestão é medida pela sua capacidade de atrair investimentos para cidade, mas nunca de afugenta-los. Não à toa, o Governo Marcos José está respirando por aparelhos, fruto da própria incompetência.


Ao desperdiçar 2,5 milhões de reais, além de jogar mais uma pá de cal na sua popularidade, o governo municipal lança dúvidas sobre a capacidade do Pr. Marcos José em escolher bons nomes para auxilia-lo.