• Pedro Vitor Lopes

Câmara Municipal impõe derrota ao Governo e derruba veto à Lei das Verbas Rescisórias

A Câmara de Vereadores derrubou, na sessão de ontem, o veto do prefeito Marcos José à Lei 1139/2020, que disciplina o pagamento das verbas rescisórias no município.


A sessão foi marcada por intensas discussões entre parlamentares de oposição e governo. Com ânimos exaltados, os vereadores Senna e Natalicio chegaram a protagonizar um duro embate, com direito a dedos em riste e troca de acusações.


Durante a plenária, um pedido de vistas do vereador Rubinho foi rejeitado pela maioria da Casa. A derrubada do veto aconteceu por 5 a 2. Votaram pela queda da proibição os vereadores Rostand,Natalicio, Zeferino, Renato, Salomé. Já os vereadores Jairo Kaíto e Carminha decidiram pela manutenção.


A escolha contou ainda com duas abstenções, dos vereadores Senna e Elton Vasconcelos, que se retirou do plenário quando o veto foi colocado em votação. Já o vereador Rubinho, se recusou a votar, em face de ter seu pedido de vistas negado. Apesar da posição contrária ao veto,vereador Murilo do Povo, como presidente da Câmara, só poderia votar caso a houvesse empate.


O projeto 1139/2020 prevê o critério da cronologia para a liquidação das verbas rescisórias. A partir de agora, a Prefeitura ficará obrigada a realizar os pagamentos de acordo com a data de solicitação.